Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2008 > Prisão temporária pode ser autorizada em crime tributário
conteúdo

noticias

Prisão temporária pode ser autorizada em crime tributário

publicado: 16/01/2008 15h39, última modificação: 11/11/2010 12h31

Tramita na Câmara o Projeto de Lei (PL) nº 1605/2007, do deputado João Campos (PSDB-GO), que inclui, entre as práticas passíveis de prisão temporária, os crimes contra ordem tributária. Atualmente, a prisão temporária, prevista na Lei 7.960/89, tem duração estabelecida de cinco dias, prorrogável por mais cinco, em caso de comprovada necessidade. Depois do prazo, o indiciado é liberado da detenção, se não for decretada prisão preventiva.

A legislação em vigor define como crimes contra a ordem tributária a fraude em fiscalização tributária e a supressão ou redução de tributos, contribuições sociais e acessórios, mediante omissão de informação ou declaração falsa prestada às autoridades. Também é crime contra a ordem tributária falsificar ou alterar nota fiscal; utilizar conscientemente documento falso ou inexato; negar nota fiscal, quando obrigatória, ou fornecê-la de forma inadequada; exigir qualquer porcentagem sobre parcela dedutível de contribuição como incentivo fiscal; e deixar de aplicar incentivo fiscal. Nesses casos, as penas de prisão variam entre 6 meses e 5 anos, além de multa.

Ao lembrar que a punição já está prevista nos crimes contra o sistema financeiro, o parlamentar ressalta que, nesses casos, normalmente são determinadas diligências e apreensões em endereços diversos para coletar documentos de natureza contábil e fiscal, máquinas e computadores de empresas envolvidas. Na sua opinião, a prisão temporária é importante para evitar risco de fuga do indiciado ou investigado, risco de ocultação, alteração ou desaparecimento de documentos ou elementos necessários para comprovar fatos. O deputado ressalta que a inclusão dos crimes contra ordem tributária na lei da prisão temporária é necessária para dar base legal e evitar alegação de insconstitucionalidade, uma vez que as prisões decretadas até o momento nesses casos se fundamentam no fato de o crime estar associado a quadrilha ou bando, o que nem sempre ocorre.

Tramitação - A proposta tramita em conjunto com o PL nº 124/2003, do ex-deputado Antonio Carlos Biscaia, que estabelece prisão temporária nos casos de investigação de crimes do colarinho branco. As propostas serão analisadas pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se aprovadas, seguirão para o Plenário.

FONTE: AGÊNCIA CÂMARA - 16/01/2008